É de quebrar os pratos: palpites gregos para se fartar!


 

Sabe aquelas viagens sem filhos que já falei para vocês aqui no blog? Então, na minha última viagem “a dois” fomos para a Grécia! E hoje o palpite é sobre as comidas e cervejas gregas de que mais gostamos.

Meu marido é amante da bebida e em todo lugar que vamos fazemos questão de experimentar as cervejas locais. E eu sou uma gulosa que quando viaja só come as comidas típicas.

Na Grécia, se come muito bem e chegamos loucos para provar de tudo.

Na entrada, meu palpite é o famoso queijo feta, feito da mistura de leite de cabra e de ovelha. Nossa, que maravilha! Gostamos tanto que passamos a pedir todos os dias de entrada o queijo feta normal e o grelhado. Sensacional! E em cada restaurante em que fomos nos 10 dias que ficamos na capital e nas ilhas gregas, o queijo era preparado de uma forma diferente, e todas extremamente deliciosas!

No prato principal, queria experimentar a clássica Moussaka (ou mussaca), que é tipo a nossa lasanha, mas ao invés de massa é com batata, recheada com carne de carneiro, berinjela e tomate. Só que para minha surpresa, a moussaka é feita tão somente de carne! E eu não como carne (não por ideologia, mas sim porque não gosto mesmo!). Fiquei desesperada. Poxa, não ia comer a tão falada comida grega! Mas, para a minha sorte, conversando com o garçom (que, aliás, na Grécia são super atenciosos), ele me dá a ótima notícia de que poderia fazer a moussaka vegetariana para mim! Dei pulos de alegria! E, gente, tava muito gostoso!!!

Segue a foto para vocês babarem:

Já o meu marido pediu outro prato tipicamente grego, o Pastítsio, que também parece com a lasanha, só que é feito com um tipo de macarrão que parece uns canudinhos e é recheado com carne e queijo bechamel. Segundo ele, também uma delícia!!! Esse prato não consegui comer porque não achei um restaurante que fizesse vegetariano.

Olhem como é apetitoso:

E tudo isso regado a muito azeite grego, que é considerado um dos melhores do mundo.

Para acompanhar essa comilança, pedíamos sempre uma cerveja grega. Experimentamos a Alfa, que foi a mais consumida pelo maridão, a Mythos, a eleita por mim, a Fix, que não gostamos muito, e todas essas eram cervejas mais leves. A mais gostosa foi a Volkan, mais encorpada que as demais, porém super difícil de achar. Só a encontramos na ilha de Santorini. E por fim, a Yellow Donkey, que eu gostei, mas meu marido não e achamos também só em Santorini, mais especificamente em Oia.

Também tomamos vários vinhos gregos chamados “da casa”, mas isso fica para um post da nossa confraria.

Não podíamos esquecer de palpitar sobre a sobremesa. A mais famosa delas, a Baklava, é um doce de massa filo com recheio de nozes. Eu achei gostoso, bom para dividir, porque não dá para comer sozinho de tão doce que é (a não ser que você seja aquela “formiga”).

Agora, para fazer aquele lanche – já que em viagem a gente normalmente come alguma coisa rápida no almoço para poder curtir as atrações turísticas -, o nosso eleito foi o Gyros, servido na forma de sanduíche ou no prato, com pão de pita, carne de porco ou frango, tomate, cebola, batata frita, com um molho delicioso. Eu fiquei só no de frango! Mas Fred afirma que o de porco é o melhor….. Eu amei o Gyros, e comi quase todo dia!

Enfim, a gastronomia grega é extraordinária, e esses são os nossos palpites que mais amamos nesse grande universo grego. E você, já foi à Grécia e tem outro palpite? Conta aqui para a gente!

Rafa Guimaraes

advogada, petropolitana radicada no Rio, mãe de Bernardo e Felipe, meia maratonista, festeira, nossa loura verdadeira e, claro, palpiteira.

VEJA OUTROS PALPITES

DEIXE SEU PALPITE

Siga o Palpitando

Os Palpiteiros

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Somos cinco amigos muito palpiteiros que gostariam de convidar todos para entrar nessa sala de estar virtual e, junto conosco, tornar-se um palpiteiro por aí...