Higienópolis: O bairro mais carioca de São Paulo


Dizem por aí que, para enxergarmos melhor, é preciso tomar uma certa distância. Essa analogia me cai como uma luva pois nasci em São Paulo e há quinze anos moro no Rio de Janeiro. Nesses quinze anos, entre idas e vindas, fui naturalmente me afastando de São Paulo e me aproximando do Rio. E, pouco a pouco, durante esse tempo, fui conhecendo melhor a minha cidade natal.

Nunca havia me dado conta que em São Paulo eu quase não andava pelas ruas. Os bairros onde morei eram simplesmente um endereço, eu não usufruía de nada, não era conhecida pelas ruas, pelos mercados locais, pelas praças… aliás, que praças? Fui então percebendo que em São Paulo o espaço público era uma mera passagem, ruas que se entrecruzam para se chegar em outro lugar, de carro. Não há vida nas ruas de São Paulo. Tudo se passa intramuros.

Moro em Ipanema. Bom, aí alguém pode dizer que é covardia, que nem em todos os lugares do Rio as pessoas andam assim pelas ruas como na Zonal Sul. Pode até ser que em lugares muito remotos e residenciais do Rio de Janeiro haja menos movimento nas calçadas…, mas a questão não é apenas a quantidade de pessoas que andam pelas ruas, frequentam praças e mercados, mas sim, o que elas estão fazendo ali. E, no Rio de Janeiro, todo o subúrbio tem um botequim, uma praça…  O espaço público é um local aonde seus moradores se encontram, onde muitos ali se conheceram e fizeram amizades que duram décadas. O espaço público no Rio de Janeiro pertence aos seus moradores. Todo o carioca se identifica e se sente parte do bairro em que mora.

Em São Paulo, isso é raríssimo. Lá, as pessoas se conhecem no trabalho. Tá, nas universidades também. Há exceções? Claro. Sempre. E, uma delas chama-se Higienópolis. Esse bairro de São Paulo que fica entre a Avenida Paulista e o Centro da Cidade  possui calçadas largas, prédios imensos – a maioria de arquitetura art déco da década de 50, sendo muitos assinados por Oscar Niemeyer, e que por isso mesmo foram até tombados. Esse foi o bairro da minha adolescência e juventude, pois estudei no colégio Rio Branco, frequentava a praça Vilaboim, a lanchonete La Vilette da Avenida Angélica… E, antes de vir morar no Rio de Janeiro estava eu novamente morando em Higienópolis. No entanto, nunca havia me dado conta de como esse bairro possui uma dinâmica diferente de outros tantos de São Paulo. Só depois de anos longe e voltando agora a frequentar o bairro, quando me hospedo na casa do meu irmão, pude perceber que lá em Higienópolis finalmente eu volto para São Paulo e… me sinto em casa!

Pessoas com carrinhos de bebês pelas ruas. A praça Buenos Aires, no coração do bairro é onde pais levam seus filhos para brincar e dividir o espaço público. Na mesma praça, pessoas se exercitam, levam seus cachorros, jogam damas, fazem piqueniques. Meu filho de três anos fez amigos na praça. Brincou na lama.

Palpite

O melhor popeltone do Brasil está em Higienópolis no restaurante Jardim de Napoli.

Você teria um outro palpite?

Higienópolis, com sua história e sua geografia – ruas planas, calçadas largas, praças, bares, mercados, feiras, é meu palpite para um carioca que queira sentir-se um pouco mais em casa quando for a São Paulo. E eu precisei ficar longe para então ver de perto essa peculiaridade.

Posts Relacionados

Porto: uma escala de 24 horas e muitas descobertas Vínhamos saciados e exaustos de uma estadia de 10 dias em Paris. Exaustos porque viajamos com nosso filho de 3 anos e 10 meses. Mas isso será tema par...
Hospedagens alternativas: porque você tem que fugi... Durante muito tempo, quando pensávamos em viajar para conhecer lugares distantes, culturas diferentes, a oferta de hospedagem de certa forma limitava ...
Paris com Criança – Parte 2 “Quando o dedo aponta o céu, o idiota olha para o dedo”. Amelie Poulain   Como prometido, vamos continuar com os palpites de como aproveitar...
Por que o Rio continua sendo a maior cidade do mun...   Não sou dado a delírios de grandeza. Passo longe de conversas que me levem a tratar minha cidade como um “balneário de grandes eventos”, lug...
Maria Carolina Amendolara

administradora de empresas, paulistana com cidadania carioca, mãe de Graziela e Francisco, ama tomar vinho e cozinhar para os amigos, nossa morena encaracolada, e, claro, palpiteira.

VEJA OUTROS PALPITES

Paris com Criança – Parte 2

Paris com Criança – Parte 1

Lima e sua rica gastronomia

4 Comentários

  • Roberta Abreu
    31 de Maio de 2017 at 16:57

    Já até morei em SP mas há tantos anos que não sou capaz de ter um opinião formada sobre os Bairros. Mas sempre tive essa impressão de não haver Bairros como Ipanema lá. Obs: morei na Granja Viana e adorei.
    Mas há poucos meses visitei uma amiga carioca da gema e mega Ipanemense como eu, que está morando na Vila Olímpia e está amando. E não é para menos. Eu nas poucas horas que estive no Bairro, me encantei e pude ver que ele também é um Bairro bem eclético com mtos bares, lojas, enfim, possibilidade de uma vida a pé. Além de ser relativamente próximo ao aeroporto, coisa que todo carioca que mora em SP prioriza.
    Fica meu palpite…

    • maria carolina
      31 de Maio de 2017 at 23:06

      Oi Roberta! Obrigada pelo palpite!! Que bom saber que a Vila Olímpia está tão bacana! Quando eu saí de São Paulo há 15 anos atrás a Vila Olimpia era um bairro que ainda estava criando sua identidade… pois é um bairro relativamente novo… então, acho que temos mais um bairro com alma carioca na pauliceia! E, com certeza, a proximidade com o aeroporto faz toda a diferença!
      Vila Olimpia é o palpite da vez!!!
      Beijo grande.
      Carol

  • Cesar Amendolara
    1 de junho de 2017 at 15:38

    Viva Higienópolis – Um pouco Ipanema, Um pouco Recoleta, Um pouco Soho, Um pouco Brooklyn e ao mesmo tempo muito paulistano!!
    Fica uma dica – colado em Higienópolis está o antigo e renovado bairro de Santa Cecilia – novo polo gastronômico e de botecos que lembra e muito o ‘interior’ de Copacabana

    • maria carolina
      1 de junho de 2017 at 16:32

      Muito bom palpite, Cesar! Com certeza Santa Cecília é a Copa paulistana! Vale muito a visita por ser um bairro antigo que voltou a ser frequentado pelos paulistanos e está cheio de ótimas novidades.
      Beijão.

DEIXE SEU PALPITE

Siga o Palpitando

Os Palpiteiros

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Somos cinco amigos muito palpiteiros que gostariam de convidar todos para entrar nessa sala de estar virtual e, junto conosco, tornar-se um palpiteiro por aí...