Diversidade em Hollywood: uma nova tendência?


Neste mês, aqui no Rio, está acontecendo, até dia 25/06, o Shell Open Air, cinema ao ar livre. Além de diversas atrações, o festival trouxe na programação o filme “La La Land: cantando canções”, que logo esgotou e teve dois dias de exibição. Também já é possível ver “Moonlight: sob a luz do luar” na grade do Netflix. Com isso, veio o pensamento sobre as últimas tendências do Oscar. Podemos observar que a partir de 2016 o maior orçamento deixou de ser um credenciamento para a vitória.

“La La Land” teve o orçamento de US$ 30 milhões, recorde de indicações e era aposta para 2017. É um filme bem técnico e elaborado, com uma fotografia que nos remete à era de ouro dos musicais nos anos 50, mas a história é simples, sem ousadias. Já Moonlight, que foi o vencedor neste ano, é o inverso, é cru nos detalhes técnicos, com roteiro e ambientação mais ousados, tendo custado US$ 1,5 milhão, segundo o seu diretor Barry Jenkins. Em 2016, o frenesi era em torno do “O regresso”, que custou US$ 135 milhões, mas o ganhador foi “Spotlight”, com a produção de US$ 20 milhões.  

Nestes últimos dois anos, pode-se observar que o importante não é o alto orçamento, que até representa uma vantagem na indicação do filme para mais categorias, especialmente as mais técnicas, e acaba também por influenciar a vitória no quesito de melhor direção. Mas é na essência da história, nos melhores roteiros, que surge o melhor filme. Isso é bom porque também traz maior diversidade para Hollywood, dando mais chances para todos. Portanto, minha dica para o próximo ano é ficar longe dos burburinhos e prestar atenção na originalidade do roteiro na hora de dar o seu palpite para melhor filme. Na época, pode ter certeza, lembraremos vocês sobre tudo isso.

2017

Melhor filme: “Moonlight: sob a luz do luar”

Melhor Direção: “La la land: cantando estações”, Damien Chazelle

Melhor Roteiro adaptado: “Moonlight: sob a luz do luar”

2016

Melhor Filme: “Spotlight: Segredos revelados”

Melhor Direção: “O regresso”, Alejandro G. Iñárritu

Melhor Roteiro Original: “Spotlight – Segredos revelados”

Posts Relacionados

6 livros que viraram séries (aprovadas pelos palpi... Muito se fala sobre séries de TV de sucesso afinal o aplicativo Netflix chegou para ficar. E não tem mais jeito: as séries nos entretém, desempenhando...
5 documentários sobre vinhos para assistir no Netf... Quer dar palpites sobre vinho e não sabe como? Assista a esses 5 documentários disponíveis no Netflix e entenda um pouco mais sobre o universo da melh...
5 documentários no Netflix que você deveria assist...   Nesta semana resolvi garimpar documentários no Netflix, já que não gostei muito das opções de filmes no cinema, exceto, é claro, Mulher-Mara...
Caindo na real: como me encantei com o feminismo   Acabei de ler o livro “Para educar crianças feministas”, da escritora Nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, o que serviu para que eu mudasse o...
Roberta Sa

administradora e, agora, estudante de jornalismo, carioca, mãe do cãozinho Tony, adora tecnologia e design, nossa morena lisa depois da chapinha, e, claro, palpiteira.

VEJA OUTROS PALPITES

DEIXE SEU PALPITE

Siga o Palpitando

Os Palpiteiros

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Somos cinco amigos muito palpiteiros que gostariam de convidar todos para entrar nessa sala de estar virtual e, junto conosco, tornar-se um palpiteiro por aí...