Como levar um animal de estimação para casa?


No post “Meu melhor amigo: como adotei o cachorrinho Tony”  disse que traria uma entrevista para esclarecer dúvidas sobre como trazer um bichinho para casa. Vivian Lage, médica veterinária, graduada pela Universidade Fluminense (UFF) e pós-graduada em Clínica Médica e Cirúrgica de Pequenos Animais pelo Instituto Qualittas, tem como área de atuação a Clínica Médica de cães e gatos. Atende em consultório nos bairros da Tijuca e Copacabana e em alguns outros bairros como atendimento domiciliar.

Vivian, acredito que a falta de conhecimento das pessoas sobre o que é ter um animal em casa ou sobre como lidar com os impulsos dos pequenos, é uma das principais responsáveis por ações negativas, como o abandono. O que as pessoas devem pensar na hora de decidir levar um animal de estimação para casa?

O que poucas pessoas sabem é que é possível contratar um médico veterinário já antes de obter um filhote. Ele pode entrevistar a família, avaliar os espaços, personalidade e a rotina de vida para escolher o pet ideal. Além disso, deve-se ter em mente a expectativa de vida, temperamento, peso quando adulto e doenças que mais acometem aquele tipo de pet e/ou raça.  Caso seja um SRD (famoso vira-lata) pode-se tentar estimar pelo tamanho dos pais, mas nem sempre vai seguir o parentesco.

Se resolver ter um animal de estimação, como escolher o animal mais adequado para crianças?

Tanto cães como gatos podem ser ideais para a criança. Existem realmente algumas raças mais amigáveis e brincalhonas (que seriam talvez mais indicadas para crianças), mas mesmo assim algumas fogem à regra. Já peguei por exemplo labradores agressivos e gatos siameses bonzinhos. O que é essencial mesmo é a socialização para conviverem. Também é importante respeitar o limite de ambos. Muitas vezes a criança quer brincar e o animal está dormindo, gerando estresse e reações súbitas por parte do animal. Vale lembrar que crianças com menos de 10 anos não podem ficar sozinhas em mesmo ambiente pois podem machucar sem querer, numa brincadeira por exemplo. Outra questão muito importante quando falamos em pet e crianças é adquiri-los por impulso. Crianças costumam descartar animais com a mesma facilidade que trocam de atividade. É preciso que os responsáveis avaliem muito bem, pois a média de vida gira entre 10-20 anos, dependendo do tamanho do animal. É super importante falar com os pequenos sobre a posse consciente.

Quais as principais diferenças entre o gato e o cachorro, por exemplo?

O que difere cães de gatos é basicamente o tempo que cada espécie tem junto ao homem. Enquanto cães vivem conosco há mais de 30.000 anos, o gato tem apenas 9.500 anos. Isto explica as particularidades de cada espécie mas não define. Assim como cada um de nós tem sua individualidade, cada pet é único. Mas eu costumo brincar que existe o time dos gateiros e dos cachorreiros, basta escolher seu “lado”.

E quais são os principais gastos necessários com um animal de estimação?

Em primeiro lugar, alimentação. A maioria dos pets hoje come rações industrializadas. Nos tipos premium ou super premium, normalmente recomendados por nós médicos veterinários, o preço do quilo é muitas vezes mais caro que o preço da alcatra no supermercado.

Em segundo, se for cão, vêm os serviços de banho e tosa e no caso dos gatos a areia sanitária.

Produtos antiparasitários contra pulga, carrapato ou mosquito também representam um custo mensal.

Os gastos com veterinário são intensificados no primeiro momento (com mais doses de vacina, castração, rotina pediátrica e vermifugação) e ao fim da vida.

Segundo pesquisa do Instituto Pet Brasil, o custo mensal de um cão de pequeno porte gira em torno de R$ 200 enquanto que gatos gastam em torno de R$ 85/ mês

É fato que muitos lugares, por interesse comercial, exploram animais para que haja uma verdadeira produção em serie de filhotes. Como posso saber se o lugar é confiável para a compra?

Deve-se sempre comprar de canis idôneos. Vendas em sites como OLX e Mercado Livre são totalmente desaconselhadas, principalmente nos casos em que a pessoa se compromete a entregar o filhote na sua casa. O comprador deve ir até o canil para conhecer as instalações e os pais. Se o canil em questão for em outro estado, deve-se buscar o máximo de informações e resenhas de outros compradores.

Infelizmente, pseudocriadores entregam filhotes com verminoses, doenças virais graves como cinomose e parvovirose, doença do carrapato, e mentem até na data de nascimento. Após a entrega na casa do cliente, trocam de número telefônico e não se consegue mais nenhum tipo de informação.

E se eu quiser adotar, como posso encontrar os animais? Há sites confiáveis? É possível que os animais adultos aceitem bem o novo lar?

Sim, existem várias instituições sérias de adoção aqui no Rio:

Associação 4 patinhas

G.A.R.R.A animal

SOZED

SUIPA

Bigodes do Bunker (somente gatinhos)

Animais adultos são mais calmos e muitas vezes mais adaptáveis à rotina do que um filhote. Eu acredito que, realizando um bom trabalho de socialização, o adulto se adapte sem maiores problemas. Outra questão que acho bem interessante frisar é que os mais procurados nas ONGs são sempre os filhotes de porte pequeno. Os idosos e os de porte médio/grande muitas vezes precisam passar suas vidas dentro de gaiolas bem pequenas devido à superlotação. Pra esses animais, um quarto e sala com passeios diários já vai proporcionar uma grande qualidade de vida.

Posts Relacionados

Vamos correr? Sempre é tempo para começar. Depois de ser mãe de dois filhos, comecei a pensar: “nossa, agora vou ter que me cuidar!!”. Mas, sinceramente, não gostava de fazer nenhum esporte. Ma...
Roberta Sa

administradora e, agora, estudante de jornalismo, carioca, mãe do cãozinho Tony, adora tecnologia e design, nossa morena lisa depois da chapinha, e, claro, palpiteira.

VEJA OUTROS PALPITES

8 Comentários

  • Priscila Sousa
    22 de junho de 2017 at 21:23

    Ótimos conselhos…. Mt bom ter profissionais dedicadas e competentíssima como vc….
    Obrigadaaaa por tudo…

    • Vivian Lage
      23 de junho de 2017 at 14:14

      Obrigada pela confiança Priscila! Beijos na Bravinha e no Mingau =)

      • Giulia Lemos Fernandes
        3 de novembro de 2017 at 11:51

        Olá Dra Vivian
        Pode me passar seu e-mail para conversamos? Gostaria de marcar uma entrevista para o meu site também (está em construção). Obrigada
        Meu e-mail é comercialcontatos8@gmail.com

  • Clarissa Lopes
    22 de junho de 2017 at 22:06

    Amei as dicas, fico feliz com o comprometimento do blog… parabéns!! Todos os meus bichos são adotados e contam com o amor e dedicação dessa veterinária maravilhosa! Passamos por muitas lutas juntas com a minha filha, resgatada já idosa, que faleceu esse ano. Vivian e suas redes conseguiram possibilitar a ela mais 4 anos de vida com qualidade. Obrigada por tudo!!! ADOTE com consciência!!

    • Vivian Lage
      23 de junho de 2017 at 14:13

      Obrigada Clarissa, a Pompom foi um excelente aprendizado. Pra sempre vai ser lembrada por sua vontade de viver e sua doçura. E vc tb, incansável nos cuidados com ela. Excelente tutora. Beijos

  • Sandra Romano
    23 de junho de 2017 at 12:27

    A sua dedicação é maravilhosa, obrigada pela sua competência e dedicação. Eu e Maria Luma agradecemos por todo carinho e desejamos toda a felicidade do mundo pra Sra e sua família, bjs!

    • Vivian Lage
      23 de junho de 2017 at 14:08

      Obrigada querida d. Sandra! Sem sua dedicação com certeza Maria Luma não estaria mais entre nós. Beijos

  • Eliezer
    23 de junho de 2017 at 18:40

    Gostei muito das dicas da Dra.! Essa sabe o que está dizendo!

DEIXE SEU PALPITE

Siga o Palpitando

Os Palpiteiros

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Somos cinco amigos muito palpiteiros que gostariam de convidar todos para entrar nessa sala de estar virtual e, junto conosco, tornar-se um palpiteiro por aí...