Comida de Verdade


Uma vez eu li em algum lugar a seguinte afirmação: “quanto mais tempo levar entre a compra que você fez no mercado e você poder comer o que comprou, melhor é a comida”. Essa métrica um pouco metafórica apenas quer dizer o seguinte: se o que você compra requer um preparo e se esse preparo leva um certo tempo, significa que você está comendo comida de verdade. No entanto, é claro que uma fruta é uma comida de verdade (e até isso depende, você vai ver) e você só precisa lavar, e em alguns casos, descascar e comer, ali mesmo, no mercado. Mas, vamos falar de refeição. Um prato de comida. Ah bom, aí a coisa muda de figura. Pense no tempo que leva entre a prateleira do mercado e seu estômago; compare uma lasanha congelada industrializada e uma lasanha cuja massa você compra, além da carne moída, do tomate…

Eu sei que meu exemplo foi desanimador. Lasanha dá um trabalho hercúleo. Mas, vamos lá. Há coisas mais simples que você pode fazer que parecem bichos de sete cabeças e são, na verdade, muito mais fáceis de preparar do que você imagina. Uma sopa. Gente, é só colocar tudo na panela, cobrir com água e deixar cozinhar em fogo baixo. Isso não é uma receita, óbvio, e dar receitas nem é o intuito deste texto. Mas, que coisa, por que as pessoas insistem em comer miojo quando um macarrão também cozinha ultrarrápido e refogar uma carne moída com tomate não requer nenhuma grande habilidade culinária?

Eu tenho um palpite: medo. As pessoas têm medo de cozinhar. Sério. Devem achar que, da panela, sairá um monstro que vai engoli-las, só pode ser. Não, gente, é o oposto. Vocês é que comem o que sai da panela. E é uma delícia. Por mais que você erre um pouco no começo, vai ser melhor do que qualquer gororoba industrializada, acredite.
Mas…e as frutas? E as verduras que comemos cruas? Não levam tempo algum entre o mercado e seu estômago e são comidas de verdade, certo? Errado. São falsos positivos. São um ledo engano. São envenenados assim como a maçã da Branca de Neve. São cheios de agrotóxicos. Então, esqueça esses itens a menos que sejam… orgânicos! Sim, é possível. Mas aí você vai dizer, claro, é possível, mas é caríssimo, ninguém aguenta. Não, não é bem assim.

Há pouco mais de um ano comecei a adotar uma alimentação quase 100% orgânica na minha casa. Mas não sou xiita, não é isso. Apenas inverti a lógica. O que era exceção virou regra e vice-versa. E meu palpite é que a regra seja: comidas que você prepara em casa, o máximo possível de ingredientes orgânicos, tudo isso regado a um vinhozinho, porque ninguém é de ferro.

Arrow
Arrow
Slider

 

Vou deixar aqui então alguns palpites de lugares onde você pode adquirir alimentos orgânicos confiáveis sem gastar uma fortuna. E, de quebra, também deixo a receita da sopa para você começar a brincadeira. Bom apetite!

 

Palpites Orgânicos:

1. Uni Orgânico – Associação dos Consumidores, Produtores e Processadores de Produtos Sem Aditivos Químicos do Estado do RJ – Contato: Renato Martelleto – 97484-3074 TIM (Whatsapp) – organicosparatodos@gmail.com

2. Circuito Carioca de Feiras Orgânicashttp://www.feirasorganicas.com.br/

3. Supermercados Zona Sul – Normalmente, possuem boa variedade de produtos orgânicos e, quase todos os dias diversos itens estão em promoção.

4. Lojas Korinhttp://www.korin.com.br/onde-encontrar/lojas-korin/

Arrow
Arrow
Slider

 

Receitas

1. Sopa de Caldo de Carne com legumes

Ingredientes:

500 gramas de músculo limpo
4 batatas médias (pode substituir por: batata baroa, batata doce, aipim, inhame)
2 tomates grandes
2 cebolas
4 cenouras médias (pode substituir por abóbora, fica show)
1 chuchu
4 talos de aipo
4 folhas de louro
4 dentes de alho
1 maço de cheiro verde amarrado
Sal e pimenta do reino a gosto

Modo de fazer:
Corte a carne em cubos médios. Descasque e corte todos os legumes em pedaços médios. Coloque tudo numa panela funda. Cubra com água até que tudo fique boiando. Ligue o fogo alto e quando ferver abaixe e tampe a panela. Deixe cozinhar até que a carne esteja macia. Desligue o fogo. Retire a carne, o amarrado de cheiro verde e as folhas de louro. O restante, bata no liquidificador e devolva para a panela junto com os cubos de carne. Está pronta! Você pode acrescentar um macarrão de sopa cozido, se quiser. Polvilhe com queijo parmesão e bom apetite.

2. Rabada da D. Rosa (avó da palpiteira Rafaela):

Ingredientes:

2 kgs de rabada

6 maços de agrião  

1 cebola

Vinho tinto para temperar

1 pimentão 

Sal e pimenta à gosto

Modo de fazer:

Temperar a rabada com sal, pimenta e vinho tinto. Refogar a cebola no azeite, junto com a rabada. Coloque para cozinhar na panela de pressão por 1 hora com bastante água mais o vinho tinto do tempero para formar um molho. Depois, tire da pressão​, acrescente o agrião até murchar e está pronta!

Segredo da D. Rosa: muito agrião!

Maria Carolina Amendolara

administradora de empresas, paulistana com cidadania carioca, mãe de Graziela e Francisco, ama tomar vinho e cozinhar para os amigos, nossa morena encaracolada, e, claro, palpiteira.

VEJA OUTROS PALPITES

1 comentário

  • Eliezer
    29 de julho de 2017 at 14:24

    Merchan da Korin, Hermínia curtiu! rsrsrs

DEIXE SEU PALPITE

Siga o Palpitando

Os Palpiteiros

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Somos cinco amigos muito palpiteiros que gostariam de convidar todos para entrar nessa sala de estar virtual e, junto conosco, tornar-se um palpiteiro por aí...